29 de dez de 2003

Eu voltei a escrever no blog e ninguém percebeu

Bom, eu mesmo havia dito que um mero post feito no calor do recém-visto Retorno do Gay não significava uma volta definitiva.

Enfim, sinto que estou pior. Eu queria evitar algum tipo estereotipado de "post reflexivo” sobre um ano que se vai, mas não tem muito remédio. Sério agora, 2002 foi um ano legal, lembro-me d’eu conversando com a Carol e a Roberta sobre comemorar 2002, pois havia sido um ótimo ano. Já 2003 foi um ano zero. Sabe esses anos (ou qualquer outro período de tempo) em que tudo acaba em empate (fazendo referência à uma piada obscura do Charlie Schulz)? Pois então, fui para um emprego melhor, hoje ganho mais do antes e... Acho que só. Essa foi a notícia boa de todo 2003, de resto...

Incrível como a única proposta que havia feito a mim mesmo no fim de 2002 não se cumpriu. Eu venho, ano após ano, diminuindo o número de "resoluções de fim de ano". Esse ano não vou fazer nenhuma, acho que agora estou entendendo. Havia prometido a mim mesmo que 2003 ia ser meu ano físico! Iria começar a praticar kung fu, malhar, cuidar do corpo, ser saudável e, de repente, até parar de fumar. Termino o ano 10 quilos mais gordo e agora, finalmente, eu sou um gordo. Já é impossível olhar para mim e não usar a obesidade como referência. Com isso minha descrição genérica fica cada vez pior: baixinho, gordo, de óculos e dentuço. Realmente só falta eu ficar careca! Eu não fiz kung fu, eu não parei de fumar, eu não me alimentei melhor e inclusive durante o ano eu tive diversas crises de estômago e dores pelo corpo.

Esse foi o ano em que eu me mudei duas vezes, mas não mudei nada. Esse foi o ano em que eu casei. Primeiro eu e carol decidimos morar juntos, é para valer. Então, nos mudamos do Catete para a Tijuca. Casa legal, eu cheguei a falar aqui. Aí, ela teve a idéia de mudar para Vicente de carvalho. Inferno, tiros, baile funk, péssima escolha imobiliária. Ficamos um mês como retirantes, tive que correr com pequenas reformas, correções e cancelamentos de contratos. Tristeza geral na partida. Voltamos para a Tijuca. Praça Aphonso pena, ótimo ponto, imóvel interessante, uma casa velha, cheia de problemas. Além de tudo isso, tenho três cadelas. Umas gracinhas, Eva 00, Maya e Clara. Seria ótimo se eu achasse que o custo benefício de ter animais compensasse. Ah! Também, tenho três gatinhas: Mia Wallace, Isobel e Lídia. Eu tenho? Me pergunto isso sempre.

Roberta se foi, ficamos eu e carol. Com dívidas, uma casa velha, seis animais e o cansaço natural de sete anos de relacionamento. É estranho quando praticamente todas as suas memórias incluem uma mesma pessoa.

Eu estou esgotado. Física e mentalmente. Não agüento mais muita coisa. Estou irritadiço, mal humorado. Estranho que de alguns anos para cá passei a ser conhecido pelo meu mau-humor. Quem me conhece há mais tempo sabe que eu mudei. E como mudei. Não consigo mais desenhar, não consigo mais escrever e estou com uma dificuldade muito grande de criar. Perdi um pouco as rédeas do meu processo de trabalho na empresa e algumas coisas atolaram. Os freelas se empilham, pessoas se entristecem comigo e minha conta bancária é completamente desregulada, ou pelo menos não é regulada como eu queria.

Estou todo errado, minha vida não tem logística nenhuma. Minha roupa não segue um curso de cuidado, meu dinheiro não segue um fluxo correto de entrada e saída, meu tempo é completamente desregrado e mal aproveitado, eu não tenho um computador bom para trabalhar, eu não tenho uma internet boa para trabalhar, eu não tenho nada. Eu sou um cara de 25 anos, que tem um dos melhores salários dentro do meu grupo de amigos e conhecidos e não tenho nada. Eu tenho um contrato de aluguel de uma casa velha, um casamento complicado de administrar, seis bichos que não foram opções minhas, e dívidas que graças a minha assertividade administrativa acabam em fevereiro. Eu não faço dívidas de longo prazo. Aprendi isso com o meu pai.

Eu não consigo mais coordenar o meu raciocínio, meu Palm quebrou e não tenho como consertar, comprei um celular numa jogada que tem um lado bom e um lado ruim mas não tenho como habilitá-lo. É tudo muito estranho. Minha vida se tornou labiríntica, tortuosa, tudo parece estar infinitamente mais difícil do que deveria ser. Algo aconteceu com o meu ponto vista. Bem ou mal eu vi isso acontecer. Por vezes algum eixo meu se deslocava, era claro quando isso acontecia e fácil de consertar. Mas de repente todos os meus eixos se deslocaram e isso fica imperceptível por que se perde a referência. Você simplesmente passa e enxergar diferente e pronto. É como um astronauta que tem aqueles três círculos rodando em diferentes direções e o desafio é realinhá-los.

O que eu quero para 2004? Na verdade a pergunta é: eu quero 2004?

Eu queria nascer de novo, ou voltar no tempo, o que fosse mais fácil.

Carol, eu amo você.

P.S.: Por mais que se pareça isso NÃO é uma nota de suicídio, é só um desabafo, ok? Eu continuo com as minhas rotas de fuga todas muito bem estabelecidas: RPG, desenho animado e história em quadrinho. Eu acho que os suicidas são uns bobos e não tenho o menor respeito por essa prática. A vida muda independente da morte embora a morte até seja um caminho natural de mudança.

26 de dez de 2003

Neste fim de ano...

No dia 25 de Dezembro, esperamos ansiosamente a chegada do bom velhinho:

GANDALF!

Comentário definitivo sobre Senhor dos Anéis

Senhor dos anéis é bom, mas vacila.

Assim como Neil Gaiman (que era o assunto entre eu e um cara, da qual não faço a menor idéia de quem seja, pouco antes do filme começar), eu nunca vou dizer que não gosto, mas não vou tremer e babar histericamente como eu faço quando falo do Allan Moore, do Kurt Vonnegut Jr., do Joy division ou do Invader Zim.

É óbvio que a terceira parte do filme veio com menos impacto do que as outras duas. Os símbolos já eram bem conhecidos e os personagens idem, então a experiência de assistir o Retorno do Rei é a de ficar rindo dos diálogos gays entre os hobbits, olhando para o teto durante os diálogos irrelevantes (assim como a história) entre o resto do pessoal e ficar pulando na cadeira durante as cenas muito fodas para caralho das lutas épicas e grandiosas. É realmente emocionante ver tantos vetores e texturas de CG lutando umas contra as outras

- Tome isso, seu pixel malvado!

No geral, acho que a trilogia do Tolkien fechou bem no cinema. Ninguém mais vai querer gastar tanto para fazer um remake, então com certeza vai ser essa aí a versão definitiva. Por mim, ok!

Como já falei antes aqui - por duas vezes, uma para cada um dos filmes anteriores - eu não gosto tanto assim de Tolkien. Eu gosto de fantasia medieval, de RPG, mas tenho altas restrições quanto a Tolkien. Quais? O de sempre: sexista, xenófobo, narrativa absolutamente sem timing, homossexualismo enrustido e falta de senso de humor. Para justificar isso basta se lembrar que o Tolkien era Inglês e escreveu o Senhor dos Anéis numa tentativa de criar uma saga épica (saga épica é pleonasmo?) para a Inglaterra, uma nação sem Edas. Creio que conseguiu. Deixo claro que essa não é a minha imagem geral da Inglaterra, afinal, tem o Monty Python.

Essa foi a minha impressão geral sobre a obra literária, agora vamos a parte cinematográfica:

O primeiro filme é bom, mas irrita por causa dos travellings intermináveis que servem para mostrar os cenários grandiosos, principalmente as transformações de Isengard.

O segundo é um pouco melhor, não tem os travellings irritantes, mas tem um milhão de cenas do Aragorn, Legolas e Gimli correndo de um lado para o outro com a musiquinha taranam taranam.

O terceiro não tem nada disso, nem travellings, nem corridas, com certeza é o melhor dos três. O terceiro filme tem as melhores batalhas, tem os momentos mais grandiosos, tem os clímax e revelações definitivas, mostra bem o final do desenvolvimento dos personagens e por aí vai. Ainda assim, continua sendo um filme hermético e de difícil entendimento para os não iniciados. Senhor dos Anéis para mim é a prova de que as pessoas não vão mais ao cinema atrás de uma história. Você pode jogar qualquer coisa desde que tenha uns CGs maneiros. Isso não significa que senhor dos anéis seja pobre de história, muito pelo contrário, mas acontece que no cinema essa história fica jogada. Coisas acontecem, entram e sai sem a menor didática de roteiro. Só que ninguém questiona. Os que sabem a história olham e aceitam, afinal é apenas uma adaptação, os que nunca leram simplesmente ignoram e se perguntam quando começa a próxima cena de batalha. Vamos concordar que se criou um pilar de inquestionabilidade sobre Tolkien e Peter Jackson que francamente me irrita.

Outra coisa que me irrita consideravelmente é esse costume que SdA criou de: o filme, o filme estendido e os extras. Coisa de nerd punheteiro isso sim.

– Temos que fazer a cena da 'entrega dos presentes' pois é muito importante, mas ela não entrará no filme. – Alguém deve ter dito.

Veja bem, se não entrou no filme é por que não é necessário para o entendimento da obra! Hei, acabei de lembrar! Eles não se importam com o entendimento da obra! É irrelevante qual cena entra ou deixa de entrar, a única coisa certa é que as batalhas estarão lá! Afinal elas são o nosso maior investimento e são as responsáveis pelos rendimentos monstro do filme. O restante a gente põe no DVD de agrega valor a um segundo item de venda.

De uma forma ou de outra, o Peter Jackson mandou bem em diversos sentidos. Com a jogada “filme / filme estendido” criou um retorno financeiro praticamente dobrado para a franquia. Entendeu o que o público queria ver de Senhor dos Anéis no cinema e o fez. Ele sabia que estava fazendo um filme que não se bastava e soube levar isso, soube contar com a boa vontade - para não dizer falta de apatia - do público em aceitar uma história que sem o background correto não faz tanto sentido, mas tem umas batalhas muito legais.

A minha conclusão é que Senhor dos Anéis é maneiro, mas vacila. Tanto na literatura quanto no cinema. Se as duas mídias me fizeram concluir a mesma coisa então é porque temos a adaptação definitiva da obra em nossas mãos.

Maior filme das história? Maior obra cinematográfica do mundo? Depende, em que sentido? Dinheiro? Uso de Efeitos? Figurino e maquiagem? Pode ser, mas em termos de se bastar como mídia, definitivamente não.

Senhor dos Anéis é um pacote a ser comprado completo: filme, livros e espinhas.

13 de ago de 2003

Rapidinhas no blog

Terminator 3 é bom.

Warren Ellis é um merda super estimado, que fez alguns trabalhos razoáveis e o resto é Lixo.

Meu gosto para música e cinema são quase os mesmos. Convergem nuns pontos e divergem em outros, mas no fundo eu gosto de gente que não se leva a sério.

Eu nunca li tanto liga da justiça como eu to lendo agora.

Finalmente Demolidor do Frank Miller saiu nas bancas.

O album novo do linkin park (Meteora) é bom.

Eu desisti de tentar entender meu gosto musical e o quanto ele mudou de uns tempos para cá.

Comprei os 10 números iniciais da 2000 AD que saíram aqui no Brasil pela Ebal no final dos anos 70. Nesses quadrinhos da para ver que o Pat Mills realmente tem talento, uma das primeiras histórias dele, chamada "CARNE", é minimanente genial.

Eu desisti de entender o que é "genial" para mim.

Eu vou voltar a morar em vicente de carvalho.

Eu saí da Voxcards. Eu trabalho na Universal Produções (da Igreja Universal do Reino de Deus) agora como "supervisor de projetos web" e esta sendo muito legal.

c}:¬j x (8::) Esse é o freddy x Jason minimal version que eu e o Danilard fizemos.

9 de jul de 2003

não gosto de reflexões, deixo isso para os espelhos

O maneiro do texto abaixo é que visualmente a mancha gráfica dele ficou toda entrecortada, dando um aspécto de sujo, caótico... Que era bem o meu espírito da hora mesmo (zeitgheist? É assim que se escreve? Eu to falando besteira? Nhá...)...

Adoro o meu poder de recuperação...
O poder que eu tenho de estar mal numa hora e ótimo na outra...
Não muda o fato de que continuo cansado e com muita coisa para fazer, mas já ta tudo muito mais ordenado...

Sim Ronaldo, eu e carol naum estávamos bem... Mas já nos entendemos...
Sim Raphael, eu vou a merda : )))))

O bom de ter um irmão como o Raphael é que ele sempre diz a coisa certa na hora certa. Aprendi a ter um profundo desrespeito a depressão com ele :))) Então quando algum de vcs estiver mal e eu mandar tomar dentro lembrem-se! Devo tudo isso ao meu irmão...

To planejando uns próximos posts bacanas...

Tem novidades e opiniões...
Mas to com preguiça de atualizar blog agora :P

7 de jul de 2003

Fúria, Poder e Liberdade

Não sei dizer se eu, genuinamente, gostei do filme do Hulk por que eu estava numa secura secular de ir ao cinema, ou se é por que o filme realmente é bom. De uma forma ou de outra a película tem lá seus méritos.

Dos “super-heróis” que existem por aí o Hulk é um dos que sempre teve um grande potencial dramático. Até pelo simples fato do Hulk nunca ter sido um super-herói. O Hulk não combate o crime, o Hulk não salva o dia, nem o universo. As vezes que ele o fez foram totalmente circunstanciais, ele apenas estava na hora certa no lugar certo. Exatamente assim é o filme. O filme não cai nos clichês maniqueístas de bem e mal como todos os outros filmes, talvez com a exceção de X-men 2. Bruce Banner é uma figura o tempo todo dualista. Assim como que teme sua outra parte, sente um profundo prazer em vivê-la.

Hulk acaba sendo um filme razoável. Acho a idéia do Bruce ser uma experiência genética do pai dele que então é despertada pelos raios gama desnecessária, mas deu uma boa história no fim das contas.

Também achei desnecessário o super-vilão do final. Porém, o filme me empolgou e nem me liguei na hora. Pior mesmo são os cachorros Hulk, um mais ridículo do que o outro.

No meio dos cortes modernos, das transições de cena “quadrinescas” e outros truques interessantes, sobra um filme que não vai ser lembrado no futuro, mas que merece uma olhada.

1 de jul de 2003

Mesa de luz

Agora eu tenho uma e com isso eu pude finalmente voltar a desenhar.
Estou enferrujado. Meu desenho está pobre e a arte final pior ainda.
Mas é tudo uma questão de pegar ritmo novamente, já é bom só de voltar a desenhar.

No sábado eu fiquei desenhando umas seis horas seguidas. Esse ai é o único que saiu que tenho coragem de mostrar. É uma cena de um RPG que estou jogando. Pouco pode ser mais nerd do que isso.

25 de jun de 2003

Alemão

Germany
Germany -
Despite a controversial recent history, it has had
a tough and powerful history. A modern-day
technological and cultural beacon, it is still
target to stereotypes and antiquited thoughts.


Positives:

Technologically Advanced.

Culturally Admired.

Global Power.


Negatives:

Target of Historical Fervor.

Constant Struggle.

Funny-Looking Ethnic Clothing.



Which Country of the World are You?
brought to you by Quizilla

17 de jun de 2003

Sejamos justos sobre Wicca e a Escala

Eu nunca curti muito as publicações da Editora Escala. Sei que ela trabalha com uma fatia do mercado que é importante, sempre levando as bancas produtos baratos, mas de qualidade, tanto de conteúdo quanto gráfica, extremamente duvidosa. Ainda assim, dedico esse post a dar-lhes os parabéns pela melhor publicação sobre o tema Wicca jamais vista em terras tupiniquins:



Eu nunca havia visto antes a milenar religião dedicada a Deusa Mãe da terra sendo tratada com toda a seriedade e maturidade que merece.


Já era hora das pessoas pararem de achar que Wicca se resume a um bando de meninas com cabeça de vento que jogam Vampiro: A Máscara, ouvem Heavy Metal Gótico com vocal feminino e assistem Charmed na televisão. Esta na hora das pessoas saberem que Wiccan também gosta de anime! Afinal, como é sabido por todos, Os Celtas tinham um estreito laço com o nobre povo do Sol Nascente. Provas historiográficas mostram, sem sombra de dúvida, que a iniciação mística das futuras sacerdotisas da Deusa Mãe era dada através do baralho do Yu-Gi-Oh, onde elas aprendiam seus primeiros encantamentos e feitiços e depois entoavam o cântico místico e misterioso intitulado: sua vez!

13 de jun de 2003

Sobre a Parede do Rio

Foi divertidinho.

Como eu não fazia nada há muito tempo, fora a minha cruel vida de escravo do trabalho, acabei curtindo alguma coisa.

O som estava uma merda. Acho que só ouvi umas duas ou três músicas boas, mas já descobri que é por que eu cheguei quando o carro do Dama de Ferro (que tava com um som bom, segundo testemunhos) já havia ido para o beleléu.

No mais, foi o perrengue de todo lugar com clima de boate.

Aliás, eu não entendo esses caras que "chegam" nas "minas" já beijando. Isso além de falta de educação é um comportamento extremamente mongol, mas me ocorre que se esse costume se mantém há tantos anos então é por que existem mulheres que topam. Assustador.

Só na Love Parade eu tive que tirar uns três de cima da carol, fora os que chegavam incomodando uns colegas meus que ficaram de pegação a três. Desses momentos, dois foram completamente opostos: num um cara pediu desculpas com toda a boa educação do mundo e no outro (no caso da pegação) o cara veio me dizer que eles "não estavam tendo respeito perante a sociedade". Vocês precisavam ver a dificuldade do cara em falar "perante". Nem respondi nada, mandei ele ir falar com a minha mão e ficou por isso mesmo.

O maior momento da noite foi, sem dúvida, durante a chuva, quando um gordinho nerd com cara de quem nunca tinha posto o pé na rua falou extasiado ao ver a chuva, o telão e a música eletrônica: "isso aqui ta mó ixtaile!". Eu e carol achamos muito fofo e o elegemos a figuraça da noite.

Só fico triste de saber que tinha uma pá de amigos meus lá mas eu encontrei poucos. Só vi Ronaldo, Ph, Daniel, Mosca, Roberta e Chris. Ótimas companias é claro, mas não me incomodaria ter esbarrado com ainda mais gente.

10 de jun de 2003

O horror e o humor

Meu dia começou encontrando um rato morto no banheiro.
Não entendi nada.

Depois, já no ônibus, indo para o trabalho, vejo a placa de um açougue:

Picanha R$9,50 o Kilo
File R$8,50 o kilo

Pensei comigo:

"Caralho! Carne 'ta cara para caralho! Vai se fuder, só vou comer agora a carne mais barata que 'tiver ali!"

Olhei e vi um R$3,50.

"Oba! É essa mesmo" - pensei com entusiasmo.

Só que o item a R$3,50 era carvão.
Não deve ser tão bom assim.

Baba ovo

Eu não gosto muito babar ovo de certos tipos de arte. Não curto desenho realista. Não curto Boris Vallejo, Chris Achielleos e esses outros oitentões por exemplo. Acho brega. Babo sem problemas o ovo da galera mais esquisita, mais cartoon, mais experimental. Jhonen Vazquez e Bruce Tim, só para citar exemplos díspares.

Mas hoje eu vou babar o ovo do Alex Ross. Confesso que no início fui muito reticente quanto a presença dele no mercado. Me parecia uma tentativa pretensiosa e oportunista de forçar um status de arte para os quadrinhos. Status este que os quadrinhos já têm desde que foram criados, pelo menos na minha opinião.

Quando li Marvels pela primeira vez eu torci um pouco o nariz. Achei bonito, mas achei que sem os truques básicos dos quadrinhos os personagens perdiam um pouco da força, embora eu tenha admirado muito algumas cenas pontuais. Numa leitura mais recente de Marvels percebi toda a força que eu não via antes e tenho que confessar: Alex Ross me emociona.

Dando uma folheada na prévia para as origens dos heróis clássicos da DC (que esta nas bancas) , digo a vocês que brotaram lágrimas nos meus olhos.

Alex Ross consegue pegar uns personagens que eu particularmente não gosto e fazê-los ter uma dramaticidade e força mais do que tátil. Super Homem, por exemplo. Como o Bruce Timm (citado acima) falou quando começou a preparar os designs de personagem para o desenho animado do Super Homem: "fazer o Batman ficar legal é fácil, desafio é fazer o mesmo com o Super Homem". Concordo com isso, mas ainda assim já fizeram cagadas homéricas com o Batman (foi mal, Tim Burton. Você é gênio, mas vacila).

5 de jun de 2003

Equação

Muito trabalho. 10 coisas para fazer ao mesmo tempo segundo minha última contagem.

Concluo que blogs seguem o rítmo inversamente proporcional ao da vida do seu proprietário.

Ou eu fico louco, ou eu fico rico. Não sei por qual dos dois eu torço no fim das contas.

Mas este blog nunca vai morrer. Mesmo a equação apontando para um rítimo infinitesimalmente próximo a zero para ele.

14 de mai de 2003

RPG (Versão 2.0)

Ah é! Eu jogo RPG, e até gosto muito de fazer isso!

Mas confesso que era uma faceta da minha nerdice que estava engavetada há mais de um ano. Devido as indas e vindas, de não estar mais morando com os meus pais, mil e um impedimentos de horário meus e do resto do pessoal.

Nos primeiros meses tive crise de abstinência, mas passou. Ficou uma coisa controlada.

Na sexta-feira passada finalmente consegui me entranhar num grupo de jogo. Jogo de super heróis da White Wolf, o tal de Aberrant. O que posso adiantar sobre o jogo é: O sistema é irrelevante (como irrelevante é qualquer coisa baseada no Storyteller: o sistema que julga o nível de poder pelo nível de catapora na ficha do personagem) e a ambientação é bem promissora. Como tudo da WW, é cheio de facções e plans inside plans, que as vezes chega a dar no saco, mas ainda assim é bem diferente de ambientações mais clichês de super-heróis, o que o torna mais divertido.

Divertido mesmo é o meu personagem: Mestre Pananga.

Uma onça negra antropomórfica (o bicho tem quase três metros), mestre em capoeira, negão (Duh) sarado, preto até o osso e Baiano.

Ser baiano que é a grande graça, falar igual baiano (o personagem tem uma falha que é 'não ser entendido direito quando fala' por causa do sotaque e das gírias) e agir com a calma de um baiano mesmo sendo um bicho imenso. O propósito da vida de Pananga é ser style acima de tudo. Para isso, o poder de se camuflar e se transportar através das sombras ajuda muito. Ele é um astro dos ringues de luta livre, tem uma academia própria (especializada no ensino de capoeira para outros Novas, o nome WW para os supers) e na sua agenda pessoal está incluso: virar o personagem propaganda do sucrilho sabor chocolate (ao lado do Tony Tiger), parceria com a Oakley (que fornece os óculos espelhados de playboy que ele usa) e fazer o próprio trio elétrico no próximo carnaval de Salvador.

Isso é por que a vida de super-herói dele por hora é um fracasso. O personagem é "fraco"? De jeito algum, quem fez a ficha foi o Felipe e ele saca de overpower, o problema é a minha mão negra para jogar dados. Para alguns testes eu tenho uma das maiores paradas de dado possíveis no jogo, mas ainda assim tiro resultados miseráveis. Mas ok, isso sou bem eu mesmo, o meu azar com dados (e com qualquer tipo de jogo) sempre foi lendário. Por essas e outras que eu sempre joguei com personagens falastrões, que davam qualquer jeito para não medir forças com nada nem com ninguém e sempre tentavam resolver tudo na lábia e na falcatrua. Como vocês podem ver, RPG ajudou a formar a minha personalidade.

Como eu sou desaiguiner, estou sempre pensando em marcas, então, mesmo atolado de trabalho, parei meia horinha para desenvolver uma idéia para a marca do nosso grupo de heróis, o Cruzeiro do Sul, a primeira equipe de heróis brasileiros bancada pelo governo.

Detalhe é que a primeira versão que eu fiz tava escrito CZ, que tipo de lixo eu comi? Estava pensando que Sul é com Z ou estava pensando que era Cruzado?

6 de mai de 2003

Enemy down!

O micro foi vencido! Depois de tanto relutar a funcionar agora ele está pianinho, com todos os drivers corretos e funcionando perfeitamente. Pena que ele é um lixo, mas vai dar conta do recado por hora. Tem que dar.

Ontem foi um dia só de boas notícias. Além do micro funcionando devo anunciar que agora eu tenho uma segunda cachorra: A Maya.

A Maya é uma labradora retriever preta, preta, pretinha.

Linda de dar gosto. Ela e a Eva agora são amiguinhas inseparaveis, muito fofo. Tudo que eu queria nessas horas era uma câmera digital para flagrar esses momentos bonitos que vez ou outra a vida tráz.

Valeu, todo mundo que me ajudou a pôr o micro para funcionar. Valeu mesmo! Sem palavras para agradecer, segue uma lista parcial da galera que deu uma força:

Raphael, Bruno, Diego, Fernando, Doideira, Kristian, Karlinha, Alexandre, Hazel, os Maru e cia.

Beijo na alma de todos vocês.

29 de abr de 2003

Vários comentários espirituosos

Sobre Design

Na próxima vez que eu encontrar algum conhecido, que não vejo de longa data, que tenha feito faculdade comigo e ele perguntar "e aí? 'Tá trabalhando na área?", eu vou responder que "sim, se alguém cruzar eu cabeceio".

Eu não sei fazer outra coisa da vida profissional além de design. Por pior que eu seja como designer, vou ser ainda pior como qualquer outra coisa.

Talvez eu me desse bem como Político, mas isso são outros 500. Votos.

Sobre computadores

Ontem a noite, tentando salvar o micro lá de casa, rererereinstalando o windows 98. De repente:

"faltam x, y, z, dlls"

- Ué, você não deveria ter essas dlls aí com vc?
- Não, eu não.
- Mas você é o Windows!
- (colocando os óculos do Groucho Marx) Não! Eu sou o... Mindows! É, é isso. Eu sou o Mindows.
- Ok, mas por que você não tem as bibliotecas?
- Por que eu sou o irmão analfabeto do Windows.
- Seu irmão Windows e suas bibliotecas estão aí?
- Não, só estamos eu e Findows, e o Findows ainda é muito novindo para ler.
- Ok, deixa estar.

Boot

Sobre Portugays

Na frase "quendei a neca mati", o sujeito é:

a) Falida, pois quendou a neca mati.
b) Maldosa, pois vai botar o bafão blog.
c) Mafiosa, por que fez a voz ativa ficar passiva rapidinho.
d) Baiana, por que fez o mais escândalo e todo mundo ficou bege.
e) Todas as anteriores.

Eu adoro pinkspeech (o lexico do mundo gay) e gotas de luxo cairam do céu.

28 de abr de 2003

Meu aniversário e meu seriado de super herois

Foi um ótimo domingo, dia inteiro de piscina e macarronada, com o pessoal falando besteira e planejando um seriado para tv que vamos filmar em breve. Dei a idéia, pessoal se empolgou, geral querendo participar e eu me sentindo o Brian Singer.

Vai ser um seriado de super heróis, mas totalmente low-profile. Poderes mais insinuados do que explícitos, sem raiozinhos e estrelinhas e nem combates Matrix style. Bullet time é o meu ovo, vai ser tudo na tensão, no mistério e na ficção científica de segunda categoria. Nem tem nome ainda, vai ser algo que signifique "exauridos", mas que não soe tão ridículo.

Se ficar 1/4 do que eu estou pensando vai ficar bem razoável e divertido, aí eu ponho na Internet e jogo para alguns concursos como curta-metragens. Algum tempo depois, eu reedito alguns episódios e faço um longa ou coisa parecida. Então será só esperar os louros da glória.

O que eu ganhei de aniversário? Lhufas. Agora tenho 25 anos (1/4 de século na minha visão otimista).

As piadas boas do fim de semana:

Porno movie alemão de sexo oral e cun shot:
Porra Lola Porra.

Jogar Imagem e Ação. Concluí que aquele jogo é um produtor de piadas memoráveis. Se jogado em grande quantidade, pelo mesmo grupo de pessoas e por um bom tempo, vai calcificar piadas com certeza. Só no rápido jogo de ontem Balneário ganhou um sentido completamente novo.

Ainda por cima eu aprendi ao certo o que é uma manilha. Sobre as mímicas eu concluí que a palavra "mico", quando associada à vexame, é uma corruptela de mímica, por que é para isso que mímica serve.

24 de abr de 2003

Relatório de Páscoa

Das poucas coisas interessantes deste feriado, destaco a visão de um pombo morto debruçado sobre um brinquedo de escorrega. Foi uma imagem poética naquele estilo que o Neil Gaiman acha que é poesia.

Seguem os filmes do fim de semana. Neste eu estava duro e fiquei escravo da HBO.

Jimmy Bolha - A única surpresa boa do fim de semana. Filme idiota da Disney, mas com piadas um pouquinho mais inteligentes (e grotescas as vezes) que a média.

As Apimentadas - Gosto desse filme. Tem um bando de mulher gatinha e eu gosto das coreografias meio hip hop. No mais a mais, é bem escritinho, sendo correto sem ser politicamente chato. Funciona.

A Maldição da Aranha - Piada de mal gosto com o roteiro do grande clássico "A mosca". Muito ruim, filme que nasceu querendo ser um cult B. Não funciona, não tem naturalidade, não tem carisma, não tem nada. Lixo, lixo, lixo.

60 segundos - Já não esperava grandes coisas, mas é ainda pior. Odeio roteiros mal amarrados. É tão fácil escrever roteiros simples, mas até para nisso se atrapalham. Parece que há um descuido proposital do tipo "não é para ser uma grande obra mesmo". Digo que 99% do cinema é feito de pequenas obras, da para ter respeito? Custa não deixar fazer barriga? Custa amarrar as ações? Acho que não, certo? O filme pode ser o lixo babaca que for, mas tem que ser escrito com carinho. Tipo As apimentadas citado acima, ou Jimmy Bolha.

Não custa nada escrever roteiros com mais cuidado.

16 de abr de 2003

Este blog nunca vai morrer

Sem nada para dizer, nada digo. Só sou prolixo (e pró-lixo) quando tenho o que dizer.

Só posso adiantar que eu não vou tomar parte na ecatombe dos blogs que está se vendo. Finda a febre, todos os blogs feitos no embalo vão morrendo por inanição ou por desistência.

Como este blog começou um tantinho de nada antes do boom, sinto-me na obrigação de honrar a "velha guarda", que é interessada, que gosta de trocar informação e não apenas falar da vida pessoal ou alheia.

Não, esse blog até pode ficar largado por um tempo (como já aconteceu), mas eu sempre volto. Ah, se volto!

7 de abr de 2003

Sobre Duna

Não li todas as continuações.

Acho o Frank Herbert muito mais inteligente do que todos nós e ele por sua vez se acha mais inteligente do que todos nós. Um doce para quem descobrir de onde eu puxei essa piada.

Aliás, ao terminar de ler Duna percebi que usei como marcador de páginas um card de Atlantis.
Sacaram? Duna, Altantis? Água, falta de água. Nossa, eu sou um gênio inconsciente das dicotomias.
Essa foi pesada.

Oportunistas

Eu vou usar armas químicas em cima da próxima empresa oportunista que escrever PAZ imenso num outdoor e assinar com a sua própria logomarca.

Blog IT report:

A festa foi super bacana! Pessoas se divertiram de ambos os lados (público e organizadores) e isso é sempre positivo.

Salva de palmas ao Rafael do Meier (Hazel para resto do mundo) que ganhou algumas rugas precoces em sua tez juvenil para organizar essa festa. Houve problemas com o ar condicionado da pista que deu uma quebra de clima, mas ainda assim a festa foi quente!

Parabéns também ao Marcus (lizard) que fez um set foda (aliás, lendo o blog dele deu para ver que eu não fui o único com crises de insegurança pré-discotecagem) e novamente ao Rafael do Meier e sua já costumeira competência como Dj.

Como foi minha primeira vez tocando em boate fiquei sinceramente emocionado. Óbvio que eu errei o tempo de praticamente todas as músicas e fiz silêncio na pista umas duas vezes pelo menos, mas ainda assim acho que foi funcional. Foi divertido ficar brincando com o estrobo para empolgar quem tava dançando.

Serviu para eu concluir que só eu gosto de industrial-metal-dance ou algo assim. Ou então eu não sei escolher músicas desse gênero, pois esses foram os meus momentos de solidão na pista. O povo quer mesmo é roquenrou e eletrônico.

Valeuzão mesmo aos mestres Shroder e Thedy-o que ficaram tendo seus respectivos sacos enchidos por minhas perguntas imbecis sobre discotecagem. Particularmente, eu queria agradecer também a empolgação da Ynara e do Watson, que pareceram se divertir bastante com as coisas que eu tocava.

Antes de colocar meu setlist (a pedido dos acima citados, claro) deixa só eu fazer uma consideração: reparei que o meu set list não tinha parenteses. Tipo assim, quando os DJs de verdade disponibilizam seus setlists eles são cheios de parenteses. Nunca uma música é apenas aquela música, é sempre assim: banda - nome da música (imperial destructor distortion overated radio mix). Ou seja, sempre é um mix bla bla da música. Meu acervo não é tão grande por isso não tenho tantas música com parenteses. Segue:

Blot IT Setlist: Dj (sic) Opiumseed

01 clan of ximox - out of the rain
02 xmall deutchland - matador
03 iggy pop - candy
04 primitives - crash
05 charlatans UK - the only one i know
06 beck - devils haircut
07 fidget - living on video
08 plastic bertrand - ça plane pour moi
09 shonen knife - konnichiwa
10 placebo - brick shithouse
11 the pillows - ride on shotting star
12 fear factory - dog day sun hise
13 ministry - jesus built my hotrod
14 fla x die krupps - Barcode (Re-Assembled Mix) (minha única música com parenteses)
15 young gods - skinflowers
16 apollo 404 - stop the rock
17 moby - bodyrock
18 chemichal bothers - hey boy hey girl
19 divine comedy - marvellous party
20 funker vogt - words of power (acho que essa tem um parentese, mas não lembro qual)
21 kmfdm - megalomaniac
22 ikon of coil - former self
23 apoptygma berzerk - non stop violence
24 vnv nation - burning empires
25 console - 14 zero zero
26 visage - fade to grey
27 la tour - people are still having sex
28 saara saara - quarta dimensão
29 tatako minekawa - fantastic cat

:: as não tocadas ::

30 prodigy - smack my bitch up
31 dallas superstar - heliun
32 dj epitaph meets norman bate - enjoy the pain
33 sorcerer - summer

Desde já eu peço desculpas aos deuses da discotecagem e aos seus discípulos (djs de verdade) pela minha existência.

No blog do Marcus (lizard) tem o set list dele, de repente o Rafael faz o mesmo.

Agora é esperar a próxima.

3 de abr de 2003

Blog IT!

É PARA TODO MUNDO IR!

Eu, Rafael do Meier e Lizard vamos estar tocando na spin no sábado agora.
O preço é camarada e o som vai ser porreta!

Saiu até no Rio Fanzine! Você vai mesmo perder isso?

Espero vcs lá!

2 de abr de 2003

Esclarecimento Público

Recebido há pouco por e.mail

>'"""" ESCLARECIMENTO PÚBLICO """""
>
>O Sindicato Único de Prostitutas, Meretrizes e Cafetinas - SINDIPROSTI
>
>esclarece à opinião pública que, apesar das afirmações da maioria dos
>manifestantes no mundo inteiro, o cidadão George W. Bush não é filho de
>nenhuma de suas associadas.

Achei muito justo.

Infâmia de Páscoa

Coelhinho da plástica que trazes pra mim? Um olho, dos olhos bem grandes assim!

28 de mar de 2003

Esse tal de T.a.T.u.

É uma merda.

As meninas são gatinhas e ficam se esfregando de forma sensual, mas musicalmente é qualquer coisa de lixo. Não perde nada para Britney Spears ou qualquer coisa assim. O "cover" delas para how soon is now é simplesmente intragável. Nem com toda a boa vontade do mundo dá para virar fã.

Quer ver tatu bom? clica nesse tatu aqui.

Link do dia: Sempre Mecca-cola

Esse é o principal concorrente da Coca-Cola (mijo negro do imperialismo) lá nas arábias. A França está dando o maior apoio.

Reparem nos slogans e nas frases de efeito, segue um exemplo:
"Don´t shake me, shake your conscience!"

Uma banda de verdade

Mais do que nunca agora o DeusXcoiL (minha "banda" que já não toca junto há uns dois anos, já teve uns quatro ou cinco nomes, mas que insistimos que continua na ativa) é uma banda de verdade.

Nosso guitarrita base e o nosso baixista brigaram por causa de mulher. Uma group , provavelmente. Isso dá capa para a Rolling Stones tranqüilamente. Primeiro lugar na Billboard também.

Já temos tudo. Nome(s), membros, briga entre membros, nome dos álbuns, capa dos álbuns, nome das músicas, algumas letras... Só falta fazer música!

25 de mar de 2003

Primeiro "link do dia"

Não é um erro, leiam com calma

Oscar 2003

Oscar - Está indo bem a frente do time de basquete do flamengo. Ganhou do Campos ontem.

Outro oscar - Esse foi o Oscar mais nerd que eu já vi.

Para começar viagem de Chihiro ganhando, merecidamente, o oscar de animação. Já não era sem tempo. Principalmente por que estamos falando do Myiazaki e não de qualquer um outro.
Dos outros concorrentes nenhum merecia ganhar. Não por serem ruins, mas por não estarem no mesmo nível de sofisticação de Spirited Away. Devido a guerra no Iraq, o Myiazaki não quis pegar avião para os EUA, mas se declarou (por carta, ele não é muito sociável): "triste por não poder manifestar toda a alegria pela premiação diante da onda de guerra que assola o mundo, mas ao mesmo tempo muito agradecido pelo reconhecimento de sua obra e pelo esforço de seus companheiros para que ela fosse exibida nos Estados Unidos".

Depois foi o Gollun (uma das grandes personagens da noite) ganhando sozinho o oscar de efeitos especiais para As Duas Torres. Não tinha concorrência também. Homem Aranha é foda, mas o personagem digital do Spidey é atari perto do Gollun.

Michael Moore ganhou do oscar de documentário por "Atirando em Columbine". Agora me digam, qual foi o primeiro blog que falou sobre o Michael Moore por aqui heim? Heim? Exatamente! Não faço a menor idéia de quem foi! Mas eu já falo dele há um tempão. O discurso de "agradecimento" dele foi lindo. Se não fosse aquilo, não seria o Michael Moore falando.

Teve tb um Mickey Mouse podre em 3D apresentando um prêmio. Eu tenho medo do Mickey Mouse 3d. Vão refazer aprendiz de feiticeiro em 3D, o horror, o horror.

Aí acaba a parte nerd. De resto foi o óbvio. Salvo o Polansk com um (tenho a impressão, pois não vi o pianista) merecido melhor diretor, mas como ele é proibido de entrar nos EUA (afinal ele come criancinha), não foi buscar. E o péla saco do Eminen ganhando com aquela música maneirinha, mas se recusando a ir no oscar? Nossa, como ele é politizado e alternativo.

Alguns filmes que vi por esses dias:

8 miles - Me lembrou o lendário filme do Vanila Ice (Cool as ice). O Eminen está lá, fica lá tirando onda, aguentando porrada, dando porrada, pegando as mulezinha, enfrentando dilemas pessoais e buscando a superação de si mesmo. Achei meio inútil o filme. Só existe para tentar limpar um pouco a imagem que o Eminen tem de homofóbico reacionário. Será que vão fazer uma continuação "pós fama"? Mostrando o escroto que ele se tornou depois?

Crimes em primeiro grau - Gostei muito desse. Personagens bem tridimencionais, com motivações reais e com ação e reação de tudo que é feito. Fora isso a história de julgamento militar é bem amarrada e uma bela espetada contra o belicismo e a intervenção americana nos países do terceiro mundo. Sem querer acabou sendo um filme atual. Realmente recomendo.

Troca justa

Tentando pegar o filme do Demolidor no kazaa pego uma cópia de Drunken Master do Jackie Chan.

Não me pergunte por que o arquivo se chamava Daredevil, mas garanto que foi uma troca bem justa. Tenho certeza de que sai no lucro.

19 de mar de 2003

O pequeno Michael

Procurando por imagens no google achei um site com desenhos de crianças.
Comecei a catar tudo como referência, criança desenhando é o há.
Então eu me deparo com o pequeno Michael e sua obra abstrato expressionista, com cores fortes, densas e uma moderna intervenção de colagens.
Não sei se é real, parece que sim. Tinha que ser coisa da Nova Zelândia.



Mais desenhos nesse link.

17 de mar de 2003

Saiu na Folha de hoje

------------------------------------------
DINHEIRO PARA CARLINHOS BROWN
Leio na Folha que o Ministério da Cultura liberou R$ 1.424.374 para
Carlinhos Brown fazer um disco com João Donato. "Bleach", primeiro do
Nirvana, custou US$ 600 (R$ 2,1 mil).

Isso doeu.
Muito!

EU to bancando os tribalistas!

14 de mar de 2003

A pia negra

Ontem eu assisti "Cálculo Mortal", filme com a bonitinha da Sandra Bulock.
Na sinopse do filme, onde se lê "detetive investiga homicído em uma pequena cidade" na verdade tinha que estar escrito:

"Policial pertubada mentalmente e seu parceiro reprimido investigam crime bobo praticado por jovem casal de homossexuais enrustidos."

Filme bunda. Ainda por cima é histericamente pro-nerd. O cara que escreveu a história deve ter sido um desses muleques de óculos que todo mundo passa a mão na bunda e tira sarro.

Esse filme merecia alguma menção honrosa (ou horrorosa, as your choice) por "nome nada ver". Cálculo Mortal ("morto por números" no original) não tem lhufas a ver com o que se passa no filme todo!

Sacaram agora a piada do título desse post? Heim? Heim? Deus, eu sou um gênio!

A Sandra Bulock fica muito melhor fazendo a cara bonitinha dela do que produzindo algum filme.

Em tempo, mais uma novidade sobre cinema:
No próximo filme da Christina Ricci ela vai ter cenas de nudez.

Oba.

11 de mar de 2003

Brinquedo novo

Comprei um boneco novo do Senhor dos Anéis.

Lindo de morrer, parece uma fantasia da beija flor. Azul e branco.
Comprando o Saruman vou ter todos os que eu quero, por um acaso só gente ruim. Não mandei o boneco do Aragorn pois está meio mal feito.
Pretendo um dia comprar um Legolas e um Gimli bem feito. Minha esperança é que com o "Retorno do Rei" bons bonecos do Aragorn sejam feitos.

Comprei um bonequinho do Imaginext também. Tão fofos.

10 de mar de 2003

Siga a setinha



Tem gente (Carol por exemplo) que se incomoda (e muito) de ver filme com o Tom Hanks ou com DiCaprio. Com os dois então nem pensar. Eu, particularmente, cago e ando. Não tenho antipatias. Pelo Tom Hanks, inclusive, pelo contrário, tenho um certo apreço. Ele tem uma cara boa e fez a Última Despedida de Solteiro.

O filme é uma graça. Disney total. Isso pode até incomodar. Algo do tipo: "como assim transformaram a história de um dos grandes falsários da américa num filme família?". E eu digo: "por que um criminoso não pode ser família?".

Gostei desse filme assim como gostei de 11 homens e 1 segredo (por que eu tabém nada tenho contra o George Clooney). Mesmo achando Ocean Eleven bem melhor são inevitáveis algumas comparações.

Na boa, acho até que isso é um gênero em formação: "canalhice old style". Esse clima, até onde eu entendo, foi primeiro retratado no clipe Sabotage do Beatie Boys e depois virou tendência (o Hermes e Renato, em início de carreira, iam nessa onda por exemplo). Não tenho do que reclamar, adoro quando algo que eu gosto vira moda.

Se você não gostar de "prenda-me se for capaz" por causa dos atores ou por causa da história "branca de neve", goste por causa da animação dos créditos, que é linda. Aliás, a Identidade visual desse filme é muito bem trabalhada.

Se você não for fã de soluções visuais bem resolvidas então ouça a trilha sonora, que é do John Willians fazendo as vezes de um Henry Mancini. Bem cool.

O Tiago fez uma crítica não favorável ao filme, mas ainda assim apontou pontos bons. Creio que isso mostra realmente que é um filme para toda a família. Você pode não gostar de tudo, mas de algo vai gostar. Fico imaginando aquela narração clássica da globo, anunciando o filme para a seção da tarde.

"você vai se divertir a valer com o falsário mais louco da américa e vai vê-lo aprontar as maiores confusões ao lado de um policial muito atrapalhado"

Plim plim.
horas e horas



Vai ser ruim de achar um homem normal que goste desse filme. Eu mesmo achei meio tedioso.
Razão simples, ele é inteiramente focado naquilo comum a todas as mulheres e quase inexistente entre os homens: a imcompletude.
Nós homens somos simplistas, nossa mente se distrai fácil em relação aos grandes mistérios da existência. Para um homem comum basta uma cerveja e uma TV para ele parar de pensar no "papel dele no mundo" e "no que é a felicidade", para tantos outros basta um quadrinho, um livro, uma música, uma outra bebida. Homens são bons em objetividade, em focar o raciocínio e a ausência dele. Para nós a verdadeira felicidade aparece, vai embora, e pronto, basta aguardar a próxima.
Mulheres não. Mulheres abraçam o mundo, querem tudo, se questionam, perguntam para a amiga, perguntam para a mãe. Mulheres são gigantescos pontos de interrogação, tanto para elas mesmas quanto (e muito mais) para nós homens.
Por mais decidida, firme e objetiva que uma mulher possa ser ela um dia senta, olha para o vazio e chora. Sem sentido, sem razão ou com razões dissimuladas. No fundo, o motivo é o mesmo para todas, mesmo que nenhuma saiba qual é.

O filme é uma apoteose do humanismo poético e da sensibilidade. Todos os personagens são sensíveis, íntimos, belos e simples de se entender devido a identificação. O filme é escrito sem falhas, uma aula de narrativa recortada, definitivo nesse ponto. Tanto pelo cuidado com as amarrações simbólicas quanto nas referências que vão surgindo durante o filme.

O melhor de tudo, o filme é fácil. A coisa que mais me entedia em filmes de "humanismo poético" (seja lá o que isso for, escutei esse termo outro dia e achei que se aplicava ao caso) é o fato deles se meterem a besta de serem densos e intrincados. As horas não. É um filme simples apesar da profundidade do tema tratado e apesar da forma como é escrito.

Chato vai ser muita gente tachando isso como "filme de lésbica" sem nem pensar.

O que eu achei chato no filme? Simples, eu vou ao cinema para ver mostros e raios lasers. Se tiverem mostros soltando raios lasers pelos olhos então, melhor ainda.

Como é divertido ser burro...

6 de mar de 2003

Reduzindo e Libertando

Ser um humano é bom. Somos realmente geniais, podemos interferir, sonhar, criar e tudo mais*. O problema é que nos prendemos a essa idéia da forma errada. Todos querem ser o melhor o possível, o tempo todo. A sociedade nos cobra sucesso, bem estar e boa aparência por que nós nos fazemos a mesma cobrança. É a sina do esperma. Se vencemos aqueles outros milhões de bichinhos rabudos, temos vencer aqui também. Mas dessa forma não dá para ser feliz.

Se pensarmos a Humanidade como um organismo infinitamente complexo, concluímos que somos apenas a uma mísera célula. A Humanidade não se importa se você está desempregado ou se ganha mil milhões. A Humanidade não se importa com sua relação com o sexo oposto. Se você não se reproduzir vai ter quem o faça, não se preocupe. A Humanidade só se importa em cumprir sua função dentro do organismo maior que é a natureza. Sendo assim, a mamãe natureza só quer uma coisa de você: sua respiração. Assim como as plantas servem (num sentido muito macroscópico e simplista) para converter gás carbônico em oxigênio, nós (na mesma lente) só servimos para converter oxigênio em gás carbônico. Ou seja, você respira? Sim? Então pronto, acabou, você esta cumprindo sua função global. Parabéns.

Uma vez que você sabe que só serve para respirar, esta livre para fazer todo o resto. Você pode fazer o que quiser, quando quiser e da forma que quiser. Quer viver sem dinheiro, vadiando por ai? Ótimo, mas mantenha a respiração. Quer trabalhar e ter dinheiro para todas as futilidades gostosas? Manda brasa, mas continue respirando!

Agora vá respirar e ser feliz, pois essa ladainha toda já me cansou.


*Aparte sobre a relação do homem com a natureza antes que comecem a reclamar:


Parem com esse choramingo de "o homem destrói a natureza". Na mente pequena, natureza são bichinhos fofos e água limpinha. A natureza é tudo. Produtos químicos são feitos com materiais encontrados na natureza. Mercúrio é natural, cromo também e por aí vai.

Quando o Homem "ataca o meio ambiente" na verdade ataca a biosfera que permite sua existência, ponto final. Ou seja, "proteger a natureza" é um discurso vago, eu quero é me proteger. Eu não mato baleias por que sem elas não rola todo um ciclo necessário para gerar o oxigênio que eu respiro.

Acho que o discurso ecológico tem um enfoque errado. Não dá para levar a sério esse papo do Mico Leão Dourado. É muito distante para se perceber, quantos já viram um desses? Faz muito mais sentido dizer que o mercúrio jogado num rio vai nos matar. Se rolar a guerra atômica (back to the 80´s) acabou a Humanidade, mas a natureza não. Ela continua por aqui e, em algumas eras (medida de tempo que só parece muito para nós), vai limpar a radioatividade sozinha. Ela já se virava muito bem obrigado antes de nossa chegada, não somos donos ou protetores da natureza. Devemos ser protetores de nosso próprio rabo.

Se causarmos problemas para nós mesmos, não continuaremos por aqui. A natureza bastará gerar um outro produtor de gás carbônico que esse seja mais esperto.

28 de fev de 2003

São Francisco e São Jorge



O bom de ser devoto de São Francisco de Assis é que ele é estiloso.
De quebra, aquele filme "Irmão Sol Irmã Lua" é bem legal.
Quem falar que isso é brega não sabe o que esta dizendo.

Em tempo, quero deixar bem claro que minha devoção esporádica por São Jorge não mudou.
Eu não posso deixar de ser devoto de um cara que mata dragões e usa uma full plate.

São Jorge é, com certeza, o santo dos RPGistas.

Mudança, fadas e devoção

Ontem foi um dia estranho. Dia principal da mudança. Acordei no Flamengo com a missão de desmontar o resto da casa e carregar o caminhão fretado.

Até aí, tranqüilo. Como todo bom taurino, adoro esforço físico mesmo não tedo preparo para tal. Gosto da adrenalina de carregar peso, sentir os músculos tensos e o suor. Me sinto até sexy enquanto "peão de obra". Enquanto isso, Carol ficou na Muda (casa nova) dando uma pré-arrumada nas coisas e atendendo o povo da Direct TV que foi lá instalar nossa TV a cabo.

Tudo indo bem até que lá pelas 2 da tarde me liga a Carol com a notícia:

"A Lídia desapareceu"

Para quem não sabe, Lídia é a mais nova e a mais "demônio" das nossas três gatas pretas. Ela é um doce. A casa nova já havia sido preparada com telas para tudo quanto é lado para impedir a fuga eventual de alguma (ou todas) das nossas gatas. Sobrou apenas uma passagem no telhado da área que julgamos impossível de ser alcançada por qualquer felino, por mais ninja que fosse. Ainda assim, ela havia desaparecido. Carol vasculhou metodicamente toda a casa, rodou a vizinhança falando com os vizinhos e nada da gata aparecer. Tudo isso entre lágrimas verdadeiras.

Chego eu - nessa altura do campeonato totalmente brochado pela notícia ruim - e saio para procurar a gata. Isso já era umas 4 ou 5 da tarde. Rodei toda a vizinhança, conheci todos os vizinhos, vasculhei cada possível rota de fuga e cantinho por onde ela poderia ter passado ou se escondido. Conheci uma distante vizinha veterinária cuja a casa é a central de bichos da área. Deixei recados e telefones em tudo quanto foi lugar. Lá pelas 8 horas, desisti. Desci a rua chorando como pode uma pessoa que perdeu algo importante chorar. Eu sou um cara sensível, vocês é que não acreditam muito nisso.

Cheguei em casa e fiquei algum tempo chorando abraçado à Carol e ela tentando me consolar. Um pouco mais controlado e pensando em sair mais tarde para uma nova busca, fui consertar um pequeno rasgo na tela do quintal que a Eva 00 havia feito. Entre choramingos e promessas de "eu vou encontrar a Lídia" fiquei na área com a Carol fazendo os consertos. Uma hora eu comentei: "não me importaria se, do nada, ela aparecesse de volta assim como, do nada, ela surgiu". Carol me respondeu "você não é mais criança para acreditar nesse tipo de coisa". Óbvio que eu respondi "sou criança sim".

Ao retornarmos da área para sala, lá estava ela. Brincando com as outras gatas como se nada tivesse acontecido.

Consequências:

1 - A mudança atrasou toda. Pois foram horas procurando e chorando pela gata.

2 - Como todo bom pobre, em meio ao meu desespero, apelei para Deus e fiz promessa para São Francisco de Assis. Aquele dos bichinhos. Agora no dia do santo eu vou levar os bichos todos para serem abençoados na paróquia dele (seja lá aonde for). Vai ter altar para ele lá em casa, com direito a uma boa imagem. E vou andar com um daqueles cordões com a imagem dele. Na boa, vai ficar estiloso, um lance meio santeria mexicana, saca?

3 - Uma vez que não foi possível descobrir aonde a gata esteve, se ela saiu ou não da casa e aonde ela se escondeu, fiquei até duas da manha tapando cada buraco da casa com amarrações de pano. Nos certificamos de que era impossível qualquer gato sair.

4 - Todos os vizinhos me acham "um rapaz sensível".

Eu ainda prefiro acreditar em magia. a Lídia é um Pooka e pronto. Sumiu mesmo e quando deu na telha reapareceu. Eu sei que existe uma explicação muito lógica para isso tudo (muitas especulações surgiram nessa madrugada), mas eu não ligo para elas.

Depois dessa experiência, eu e Carol desenvolvemos um novo mantra para nos trazer paz. Quando qualquer coisa começa a dar errado, dizemos:

"mas a Lídia esta em casa"

24 de fev de 2003

Open House

Assim que estiver tudo pronto vai rolar muita cerveja, carne queimada, música boa (quem aparecer com cd dos Tribalistas leva na cara)e vídeos na tv.

De mudança

Estou de mudança, como disse no post anterior. Essa é uma das razões para eu ter atualizado pouco.

Mas eu tinha que vir aqui falar para vocês sobre o bebê. Não, nem Carol e nem Roberta estão grávidas. O bebê em questão é a Eva 00, uma linda colie tricolor que compramos agora que a casa nos permite ter um cão. Salvo a mordida que ela deu num dedo do meu pé, ela é doce e linda. É preta, branca, marrom e parece uma vira-lata.

Sinto muito não ter câmera para colocar uma foto dela aqui. Depois eu faço um desenho ou qualquer coisa assim. Não tenho ido ao cinema, tenho trabalhado para cacete para dar suporte a todos os gastos da mudança.

Contudo, a casinha nova é o máximo! Perfeita. Tudo é plural. Quartos, áreas, banheiros, espaços. Sou "caustromaníaco", mas uma boa divisão de ambientes não faz mal a ninguém. Vou pode voltar a pintar, a construir instrumentos, fazer coisas e mais coisas. Ler livros na rede da varanda, chamar os amigos para um churrasco no domingo entre outras coisas divertidas. Parece que estou indo morar na casa da vovó. Tudo calmo, verde e tranqüilo. Um bom subúrbio.

Tem até um estúdio perto de casa, o que faz eu pensar na volta do DeusXcoiL (ou seja lá qual for o nome), minha atrofiada banda de poesia industrial.

Estou feliz.

17 de fev de 2003

Navio Fantasma

Estou de volta.

Mamãe já saiu há tempos do hospital e está bem. Estou mais ou menos regulado com tudo, mas está vindo mais pedreira agora. Estou de mudança e o gasto de dinheiro/tempo com isso vai me desequilibrar de novo. Eu gostaria de não ser tão taurino e curtir mais essas coisas, mas só consigo pensar no quão desconfortável são mudanças no cotidiano.

Em tempo, navio fantásma é um filme realmente ruim.

Vocês sabem o quão difícil é eu achar um filme ruim de cabo a rabo. Sempre me prendo aos fatores positivos para justificar a mim mesmo o dinheiro e o tempo gastos. Porém, esse filme foi total desperdício, inclusive de idéia, pois se fosse melhor pensado poderia até ter sido bom. Ainda tem o Robert Zemeckis na produção do filme. Tudo bem, todo mundo tem direito de fazer coisas ruins, até o cara que fez De Volta para o Futuro.

Nem a abertura fofinha, estilo Love Boat anos 60, salva a produção. É só uma boa piada jogada no ralo. Junto com todo o resto.

30 de jan de 2003

eu não sirvo nem para sonhar

geralmente eu não sonho ou não lembro que sonhei, como dizem alguns. Ora! Se eu não lembro não aconteceu porra, só eu poderia lembrar dos meus sonhos
Enfim, raramente quando eu acordo eu percebo que vivi coisas durante a noite. Pois é, nas raras vezes em que isso acontece é uma merda...
Tipo sonhei outro dia como uma piada, dessas de adivinhar nome de filme.

O que é uma Peixe com sete pexinhos atráz?
Branquia de neve e os sete anões!

Putz, isso não existe, pior que eu ria para cacete enquanto dormia e estava achando que era a tirada mais genial do mundo. Estava louco para acordar e contar para todo mundo.
Pior foi a segunda parte do sonho, quando eu sonhei com o Cid Moreira, só que ele estava de calcinhas e tinha uns peitões enormes! Gigantes mesmo...
Enquanto isso a Carol sonha que ta trepando com uma versão mais alta do tom cruise...

É, não nasci para sonhar...

27 de jan de 2003

devolva meu amigo seu esfincter gigante!

Tem um gênero cinematográfico que para mim tem a existência bem clara: o filme de seção da tarde, ou filminho. É aquela fita da qual você gosta, assiste se estiver de bobeira, mas você sabe que ela não tem absolutamente nada de mais, é apenas um anestésico.
Creio tb que cada um tem o seus filmes da tarde. Ontem descobri um dos meus: Evolution.

O filme é bem (bem escrito, bem dirigido, bem atuado, bem feito, mas tudo dentro da proposta de ser um filminho) e ainda por cima foi feito sobre a idéia de que seria apenas um filme divertido, ou seja, pretenção zero e um tantinho leve de tiradas politicamente incorretas. Só fizeram esse filme por que ta ficando barato pazer 3d, que aparece pouco (perto da quatidade de 3d que se usa hj em dia no cinema) mas aparece correto.
Eu acho que eu passei a me divertir muito mais com o cinema depois que eu parei de querer que cada filme fosse uma obra prima, hoje, dando mais atenção a essas pequenas coisinhas do dia a dia, cinema passou a ser muuuuuuuuuito mais diversão para mim...

Bacana é ver como é simples fazer esse tipo de filme, o argumento é copy paste. O filme tem a mesma história de Malditas Aranhas (que é adorável), Morcegos e tantos outros. Com direito a mina abandonada lotada de criaturas estranhas que explode no final. Com isso eu concluo que é tão perigoso morar perto de uma mina abandonada quanto morar em Tóquio.
Rolou um longa de animação de evolution. Não vi, mas não parece bom. Mas sou da opinião que evolution poderia ter dado um bom licenciamento para uma série de animação assim como caça-fantásmas (incomparável) e homens de preto (ignorem o II, assistem o primeiro e a série animada).
O título do post? Só vendo o filme para saber...

26 de jan de 2003

parablog

Ok, vocês sabem o que é um blog, mas vcs já perceberam os parablogs?
Seguinte, vocês com certeza já conhecem o mano Elton. Ele ta sempre comentando no meu blog sobre links de animação e outras coisas maneiras. Uma vez perguntado sobre o porquê dele não montar um blog para ele falar dessas coisas ele respondeu que era muito mais prático usar o MEU blog para isso, ao invés de ter todo o trabalho de montar um para ele.
Uma vez que o Elton é brother que toda a vida isso obviamente não me incomoda, até pq eu QUERO saber dos links maneiro de animação que ele desenterra. Logo existe o opiumseed e o seu parasita mr.pot, que na verdade é mais como um simbionte, uma vez que a relação é boa para ambos.
Parablog mesmo era o que eu e Ronaldo fazíamos em alguns blogs da vida, parasitando personagens nos comentários e desviando completamente qualquer assunto proposto pelo organismo hospedeiro.
Assim temos o Simblog (Opiumseed e Mr. Pot) e os Parablogs (Nomes não podem ser revelados:))
O dia que a biônica digital estiver bem estabelecida eu vou querer meus créditos!
before you die you´ll see the ring

Esse filme faz par com outro que eu to curiso para ver: o fear dot com.
Para quem não sabe The Ring é sobre uma fita de video que mata pessoas, e fear dot com é um site que mata pessoas.

...

Pois é, isso é estúpido o suficente para chamar a minha atenção. Lá fui eu ontem ver "O Chamado".
Juro por tudo, a minha tentação de ilustrar esse post com um cuzão arregaçado foi imensa, mas algo me fez parar no meio do caminho (a conexão ruim, a ausência de um photoshop nessa máquina e o fato da minha vozinha (sua benção vó) ver esse blog vez ou outra). O filme é ruim? Não, pelo contrário, é até interessante, mas eu não poderia perder essa piada neh?

O filme é o seguinte, misture Jung com Buñuel com cronenberg com família adamms e vc vai ter algo próximo a esse filme. O filminho que passa na tal fita assassina é de deixar cão anda luz no chinelo!
O filme só é meio pentelho na hora de contar a história, com milhões de simbolismos e subjetividades para no final das contas termos uma fantasminha camarada matando pessoas como qualquer outro filme. Nem preciso dizer que as "explicações" do filme não funcionam, mas, quem precisa disso afinal?

Agora é esperar o fear dot com, que segundo o Tiago (aliás, valeu pelo link peregrino) é um filme sobre a vida dos web designers...

a maior piada do cinema de horror

...e eu perdi...

Sim, perdi por que fui deixar para ver Jason X só hoje. Se eu soubesse eu teria visto no cinema, logo no na estréia. Juro que até tentei, mas não deu...
O filme é o seguinte: não é bom, mas até ai sem novidades. O visual de algumas naves e da terra devastada é razoável e olhe lá, a concepção de arte em relação a tecnologia é maneira mas vacila. Fora isso ele é do mediano para ruim. Achei que teria uma trilha sonora do caralho mas nem isso...

Mas!
reparem que eu disse mas!

Tem uma cena que com certeza é a que vale o filme inteiro. Aliás eu acho que o cara que fez esse filme (não, não vou ficar pesquisando imdb para esse filme) teve a idéia dessa cena e fez o filme só para contá-la.
É o seguinte. No climax do filme o Jason é transportado para uma realidade virtual que simula crystal lake, para ficar melhor colocam duas garotinhas com cara de anos 80, semi nuas falando: do you wanna some beer? Or some pot? Better! Let´s do some pre matrimonial sex!!!. Rola um corte, e qd volta a cena o jason ta usando as meninas virtuais como saco de batata e tacando para tudo quanto é lado, inclusive uma na outra e numa árvore. Toda a graça esta na idéia de que o Jason é um símbolo reacionário (esse filme me abriu os olhos, o Jason é um maníaco fundamentalista no fim das contas) e na forma como a cena é feita, para ficar comicamente seca e caricata.
Óbvio, contando assim perde todo o sabor, mas a montagem, os ângulos e as expressões são o suficiente para que esta cena seja tudo que pânico e todo mundo em pânico tentaram ser e não conseguiram...

Eu realmente recomendo as pessoas de senso de humor que vejam essa cena...

Ah! Hoje eu vi D-Tox tb. Mas o filme é tão nada que nem tem o que comentar...
Ah! Lembrei, os crédito são fofinhos, chupação total de crube da luta, até no discurso...
Mas é só...

23 de jan de 2003

essa foi ótima

pesquisando sobre serviços de encontros on line fui no tal do par perfeito...
Fiz um perfil, meio pateta nas partes de texto puro, mas sério nas partes que são usadas para cruzamento de dados...
Peço para o site fazer uma lista com usuários que tenham 100% de afinidade comigo. Nesse momento eu conheço a gloriosa


Tiffany


em uma palavra: Baiana!!
Mal posso esperar para Ela realizar todas as minhas fantasias...

Agora eu escrevo aqui tb: big brother é o caralho

Só de onda...

21 de jan de 2003

quase bom

A coisa que eu mais gosto de fazer é falar de filmes...
e tem um monte de filme novo para falar...
Só que a grande maioria é quase bom...
Sabe aqueles filmes em que vc imagina como seria bom se vc pudesse pessoalmente ter falado com alguém da produção? Ou feito a produção?
Pois é,,,

Esses filmes "novos" são novos para mim, eu infelizmente não consigo ser tão up to date qt eu gostaria com cinema...
De qualquer forma, qd eu voltar tvz fale de cinema...

Por hora vai só a listinha das últimas coisas que eu vi com micro resenhas, pretendo extender, se der, ou não, que saco, para que tanta vírgula...

Planeta do Tesouro - Ta bunitinho, mas Atlantis tem uma direção de arte melhor. Me irritam os 3ds que não casam com os 2ds, nesse ponto atlantis da um banho.
Insônia - Tava indo muito bem, um conflito real, de pessoas reais, com interesses estranhos, egoistas e desesperados. Mas ai vem o final "olhem como eu sou mal" e "olhem como eu sou bom para por tudo por água abaixo", que saco. Copiando a Roberta: "É mais uma tragédia grega, vc não precisa saber mais nada fora teoria da literatura para entender essas merdas".
Pacto com os Lobos - Over. Tudo. As cenas de luta, ação, tensão, são lotadas de freezes, slow motions, completamente sem sentido. A história tem mais reviravoltas do que nó de escoteiro, numa de provar que o filme é europeu e por isso complexo. Seria bem melhor se tivesse algumas horas a menos.
kung pow -Tem coisas REALMENTE muito engraçadas, mas grande parte do filme é completamente desnecessária. Vale a pena ver só para entender algumas piadas que ue vou fazer daqui para a frente...

Devo ter visto mais filme do que isso, mas não to com paciência de lembrar naum...

bird bird bird tiger tiger tiger
um tanto desanimado

Não com o blog...
Mas com o tudo...

Já reparei que 9 a cada 10 blogs morrem por desânimo dos seus respectivos escritores...
Galera burra, cada tecnologia nova gera seus próprios mitos, a do blog é que se vc ficar um tempo sem postar nunca mais pode voltar...
Balela, o blog é um espaço seu, qd vc esta dormindo vc sonha, até fala, mas não é a mesma coisa...

Adoro todo mundo que continua vindo no blog mesmo sabendo que ele vai continuar quase o mesmo e ainda pedem mais...
Por enquanto estou meio que dormindo...

Série de razões, a primeira e maior de todas é estar com uito trabalho acumulado, a mente confusa e não conseguindo me organizar direito para fazer tudo que devo fazer a tempo...
Acho que é falta de água...
Preciso beber mais água...
Água acelera o metabolismo, corta a preguiça, queima caloria, melhora sua memória de curto prazo e seu poder de concentração...

Eu to pedindo água...
Exatamente...
Água gostosa e refrescante...
Água...

8 de jan de 2003

cronenberg não é mais o mesmo



Spider é um filme bom, mas não é tão legal assim não.
Eu já tinha ficado com a pulga atrás da orelha depois de ExTenZ. Não que eu o ache ruim, é foda para caralho, mas me soou autofágico para um diretor que sempre fez filmes tão diferentes um do outro. ExTenZ é uma bela reciclagem dos conceitos de Videodrome.
Já o Spider não é reciclagem de nada, mas tb não é novo. Como disse a Carol, de crianças irlandesas malucas o cinema ta cheio.
O filme é lento e faz uma grande espectativa para um final que simplesmente não acontece. É frustrante, para não dizer óbvio.
Ainda assim é fantásticamente filmado. Boas cores, ângulos. Direção arte e fotografia perfeitas.
O Ralph Fiennes esta ótimo no papel central e olha que o personagem tem até uma certa profundidade.
O filme é cheio de detalhes bons de se ver, de se gravar. Processos, demências, padrões. Aulinha de esquisofrenia for dummies.

Pena que o resultado final é meio lento e tedioso.
Spider é tipo uma "seção da tarde" do filme de arte. Até funciona, mas não é essencial não.
Seja lá qual for o próximo projeto do Cronenberg, vou ficar ansioso por algo realmente bom.
sobre filmes

Como não comentar?

"As duas torres" é lindo, já vi duas vezes sendo que uma logo na estréia.
Me divertiu mais do que o "sociedade do anel", não que seja melhor, mas é pq a história esquenta mais.
"o retorno do rei" promete... E muito...

Detalhe para a cena do Legolas montando cavalo pelo lado contrário e andando de skate, só para mostrar que é bom...
Não curto o Gimli como comic relief, mas me diverte tb...
Que porra aqueles elfos estão fazendo no Forte da Trombeta? Ah ta! É só para ficar mais claro para os telespectadores que os Elfos estão realmente preocupados e não apenas saindo fora para Valinor agora que a porca esta torcendo o rabo na terra média... Para isso foi criada a campanha "Elrond Cares", para concorrer com a campanha oficial "Frodo Lives". Em breve camisas para vcs...
Vou parar por aqui...
Tem comentários mil em diversos blogs por ai...

a arte do art



O Art Spiegelman manda bem. Agora ele saiu do New York times para se didicar a sua tira sobre hipocrisia e paranóia americana: "in the shadow of no towers". O Link para um pesquisa no google...

é para isso que eu quero ter flilhos



coisa mais fofa do pai


meu ano novo

Não fui para a spin como eu queria...
Fui a copacabana ver estrelinhas piscantes no céu...
Não foi bom, mas tb não foi ruim...

Plus a dove compania das meninas ainda tinha a Ju para tornar a festa ainda mais doce...
Valeu Ju : )

atendendo a pedidos

Eu blogo...
Perdão pela preguiça a preguiça...

As estatísticas me mostram que eu tenho pelo menos 9 leitores fiéis...
Pois até no dia 31 de Dezembro do ano passado Eu tive algumas visitas.
Por favor 9 leitores identifíquem-se, só assim vocês poderam ganhar um brinde exclusivo do opiumseed, seja lá qual for.