28 de mar de 2003

Esse tal de T.a.T.u.

É uma merda.

As meninas são gatinhas e ficam se esfregando de forma sensual, mas musicalmente é qualquer coisa de lixo. Não perde nada para Britney Spears ou qualquer coisa assim. O "cover" delas para how soon is now é simplesmente intragável. Nem com toda a boa vontade do mundo dá para virar fã.

Quer ver tatu bom? clica nesse tatu aqui.

Link do dia: Sempre Mecca-cola

Esse é o principal concorrente da Coca-Cola (mijo negro do imperialismo) lá nas arábias. A França está dando o maior apoio.

Reparem nos slogans e nas frases de efeito, segue um exemplo:
"Don´t shake me, shake your conscience!"

Uma banda de verdade

Mais do que nunca agora o DeusXcoiL (minha "banda" que já não toca junto há uns dois anos, já teve uns quatro ou cinco nomes, mas que insistimos que continua na ativa) é uma banda de verdade.

Nosso guitarrita base e o nosso baixista brigaram por causa de mulher. Uma group , provavelmente. Isso dá capa para a Rolling Stones tranqüilamente. Primeiro lugar na Billboard também.

Já temos tudo. Nome(s), membros, briga entre membros, nome dos álbuns, capa dos álbuns, nome das músicas, algumas letras... Só falta fazer música!

25 de mar de 2003

Primeiro "link do dia"

Não é um erro, leiam com calma

Oscar 2003

Oscar - Está indo bem a frente do time de basquete do flamengo. Ganhou do Campos ontem.

Outro oscar - Esse foi o Oscar mais nerd que eu já vi.

Para começar viagem de Chihiro ganhando, merecidamente, o oscar de animação. Já não era sem tempo. Principalmente por que estamos falando do Myiazaki e não de qualquer um outro.
Dos outros concorrentes nenhum merecia ganhar. Não por serem ruins, mas por não estarem no mesmo nível de sofisticação de Spirited Away. Devido a guerra no Iraq, o Myiazaki não quis pegar avião para os EUA, mas se declarou (por carta, ele não é muito sociável): "triste por não poder manifestar toda a alegria pela premiação diante da onda de guerra que assola o mundo, mas ao mesmo tempo muito agradecido pelo reconhecimento de sua obra e pelo esforço de seus companheiros para que ela fosse exibida nos Estados Unidos".

Depois foi o Gollun (uma das grandes personagens da noite) ganhando sozinho o oscar de efeitos especiais para As Duas Torres. Não tinha concorrência também. Homem Aranha é foda, mas o personagem digital do Spidey é atari perto do Gollun.

Michael Moore ganhou do oscar de documentário por "Atirando em Columbine". Agora me digam, qual foi o primeiro blog que falou sobre o Michael Moore por aqui heim? Heim? Exatamente! Não faço a menor idéia de quem foi! Mas eu já falo dele há um tempão. O discurso de "agradecimento" dele foi lindo. Se não fosse aquilo, não seria o Michael Moore falando.

Teve tb um Mickey Mouse podre em 3D apresentando um prêmio. Eu tenho medo do Mickey Mouse 3d. Vão refazer aprendiz de feiticeiro em 3D, o horror, o horror.

Aí acaba a parte nerd. De resto foi o óbvio. Salvo o Polansk com um (tenho a impressão, pois não vi o pianista) merecido melhor diretor, mas como ele é proibido de entrar nos EUA (afinal ele come criancinha), não foi buscar. E o péla saco do Eminen ganhando com aquela música maneirinha, mas se recusando a ir no oscar? Nossa, como ele é politizado e alternativo.

Alguns filmes que vi por esses dias:

8 miles - Me lembrou o lendário filme do Vanila Ice (Cool as ice). O Eminen está lá, fica lá tirando onda, aguentando porrada, dando porrada, pegando as mulezinha, enfrentando dilemas pessoais e buscando a superação de si mesmo. Achei meio inútil o filme. Só existe para tentar limpar um pouco a imagem que o Eminen tem de homofóbico reacionário. Será que vão fazer uma continuação "pós fama"? Mostrando o escroto que ele se tornou depois?

Crimes em primeiro grau - Gostei muito desse. Personagens bem tridimencionais, com motivações reais e com ação e reação de tudo que é feito. Fora isso a história de julgamento militar é bem amarrada e uma bela espetada contra o belicismo e a intervenção americana nos países do terceiro mundo. Sem querer acabou sendo um filme atual. Realmente recomendo.

Troca justa

Tentando pegar o filme do Demolidor no kazaa pego uma cópia de Drunken Master do Jackie Chan.

Não me pergunte por que o arquivo se chamava Daredevil, mas garanto que foi uma troca bem justa. Tenho certeza de que sai no lucro.

19 de mar de 2003

O pequeno Michael

Procurando por imagens no google achei um site com desenhos de crianças.
Comecei a catar tudo como referência, criança desenhando é o há.
Então eu me deparo com o pequeno Michael e sua obra abstrato expressionista, com cores fortes, densas e uma moderna intervenção de colagens.
Não sei se é real, parece que sim. Tinha que ser coisa da Nova Zelândia.



Mais desenhos nesse link.

17 de mar de 2003

Saiu na Folha de hoje

------------------------------------------
DINHEIRO PARA CARLINHOS BROWN
Leio na Folha que o Ministério da Cultura liberou R$ 1.424.374 para
Carlinhos Brown fazer um disco com João Donato. "Bleach", primeiro do
Nirvana, custou US$ 600 (R$ 2,1 mil).

Isso doeu.
Muito!

EU to bancando os tribalistas!

14 de mar de 2003

A pia negra

Ontem eu assisti "Cálculo Mortal", filme com a bonitinha da Sandra Bulock.
Na sinopse do filme, onde se lê "detetive investiga homicído em uma pequena cidade" na verdade tinha que estar escrito:

"Policial pertubada mentalmente e seu parceiro reprimido investigam crime bobo praticado por jovem casal de homossexuais enrustidos."

Filme bunda. Ainda por cima é histericamente pro-nerd. O cara que escreveu a história deve ter sido um desses muleques de óculos que todo mundo passa a mão na bunda e tira sarro.

Esse filme merecia alguma menção honrosa (ou horrorosa, as your choice) por "nome nada ver". Cálculo Mortal ("morto por números" no original) não tem lhufas a ver com o que se passa no filme todo!

Sacaram agora a piada do título desse post? Heim? Heim? Deus, eu sou um gênio!

A Sandra Bulock fica muito melhor fazendo a cara bonitinha dela do que produzindo algum filme.

Em tempo, mais uma novidade sobre cinema:
No próximo filme da Christina Ricci ela vai ter cenas de nudez.

Oba.

11 de mar de 2003

Brinquedo novo

Comprei um boneco novo do Senhor dos Anéis.

Lindo de morrer, parece uma fantasia da beija flor. Azul e branco.
Comprando o Saruman vou ter todos os que eu quero, por um acaso só gente ruim. Não mandei o boneco do Aragorn pois está meio mal feito.
Pretendo um dia comprar um Legolas e um Gimli bem feito. Minha esperança é que com o "Retorno do Rei" bons bonecos do Aragorn sejam feitos.

Comprei um bonequinho do Imaginext também. Tão fofos.

10 de mar de 2003

Siga a setinha



Tem gente (Carol por exemplo) que se incomoda (e muito) de ver filme com o Tom Hanks ou com DiCaprio. Com os dois então nem pensar. Eu, particularmente, cago e ando. Não tenho antipatias. Pelo Tom Hanks, inclusive, pelo contrário, tenho um certo apreço. Ele tem uma cara boa e fez a Última Despedida de Solteiro.

O filme é uma graça. Disney total. Isso pode até incomodar. Algo do tipo: "como assim transformaram a história de um dos grandes falsários da américa num filme família?". E eu digo: "por que um criminoso não pode ser família?".

Gostei desse filme assim como gostei de 11 homens e 1 segredo (por que eu tabém nada tenho contra o George Clooney). Mesmo achando Ocean Eleven bem melhor são inevitáveis algumas comparações.

Na boa, acho até que isso é um gênero em formação: "canalhice old style". Esse clima, até onde eu entendo, foi primeiro retratado no clipe Sabotage do Beatie Boys e depois virou tendência (o Hermes e Renato, em início de carreira, iam nessa onda por exemplo). Não tenho do que reclamar, adoro quando algo que eu gosto vira moda.

Se você não gostar de "prenda-me se for capaz" por causa dos atores ou por causa da história "branca de neve", goste por causa da animação dos créditos, que é linda. Aliás, a Identidade visual desse filme é muito bem trabalhada.

Se você não for fã de soluções visuais bem resolvidas então ouça a trilha sonora, que é do John Willians fazendo as vezes de um Henry Mancini. Bem cool.

O Tiago fez uma crítica não favorável ao filme, mas ainda assim apontou pontos bons. Creio que isso mostra realmente que é um filme para toda a família. Você pode não gostar de tudo, mas de algo vai gostar. Fico imaginando aquela narração clássica da globo, anunciando o filme para a seção da tarde.

"você vai se divertir a valer com o falsário mais louco da américa e vai vê-lo aprontar as maiores confusões ao lado de um policial muito atrapalhado"

Plim plim.
horas e horas



Vai ser ruim de achar um homem normal que goste desse filme. Eu mesmo achei meio tedioso.
Razão simples, ele é inteiramente focado naquilo comum a todas as mulheres e quase inexistente entre os homens: a imcompletude.
Nós homens somos simplistas, nossa mente se distrai fácil em relação aos grandes mistérios da existência. Para um homem comum basta uma cerveja e uma TV para ele parar de pensar no "papel dele no mundo" e "no que é a felicidade", para tantos outros basta um quadrinho, um livro, uma música, uma outra bebida. Homens são bons em objetividade, em focar o raciocínio e a ausência dele. Para nós a verdadeira felicidade aparece, vai embora, e pronto, basta aguardar a próxima.
Mulheres não. Mulheres abraçam o mundo, querem tudo, se questionam, perguntam para a amiga, perguntam para a mãe. Mulheres são gigantescos pontos de interrogação, tanto para elas mesmas quanto (e muito mais) para nós homens.
Por mais decidida, firme e objetiva que uma mulher possa ser ela um dia senta, olha para o vazio e chora. Sem sentido, sem razão ou com razões dissimuladas. No fundo, o motivo é o mesmo para todas, mesmo que nenhuma saiba qual é.

O filme é uma apoteose do humanismo poético e da sensibilidade. Todos os personagens são sensíveis, íntimos, belos e simples de se entender devido a identificação. O filme é escrito sem falhas, uma aula de narrativa recortada, definitivo nesse ponto. Tanto pelo cuidado com as amarrações simbólicas quanto nas referências que vão surgindo durante o filme.

O melhor de tudo, o filme é fácil. A coisa que mais me entedia em filmes de "humanismo poético" (seja lá o que isso for, escutei esse termo outro dia e achei que se aplicava ao caso) é o fato deles se meterem a besta de serem densos e intrincados. As horas não. É um filme simples apesar da profundidade do tema tratado e apesar da forma como é escrito.

Chato vai ser muita gente tachando isso como "filme de lésbica" sem nem pensar.

O que eu achei chato no filme? Simples, eu vou ao cinema para ver mostros e raios lasers. Se tiverem mostros soltando raios lasers pelos olhos então, melhor ainda.

Como é divertido ser burro...

6 de mar de 2003

Reduzindo e Libertando

Ser um humano é bom. Somos realmente geniais, podemos interferir, sonhar, criar e tudo mais*. O problema é que nos prendemos a essa idéia da forma errada. Todos querem ser o melhor o possível, o tempo todo. A sociedade nos cobra sucesso, bem estar e boa aparência por que nós nos fazemos a mesma cobrança. É a sina do esperma. Se vencemos aqueles outros milhões de bichinhos rabudos, temos vencer aqui também. Mas dessa forma não dá para ser feliz.

Se pensarmos a Humanidade como um organismo infinitamente complexo, concluímos que somos apenas a uma mísera célula. A Humanidade não se importa se você está desempregado ou se ganha mil milhões. A Humanidade não se importa com sua relação com o sexo oposto. Se você não se reproduzir vai ter quem o faça, não se preocupe. A Humanidade só se importa em cumprir sua função dentro do organismo maior que é a natureza. Sendo assim, a mamãe natureza só quer uma coisa de você: sua respiração. Assim como as plantas servem (num sentido muito macroscópico e simplista) para converter gás carbônico em oxigênio, nós (na mesma lente) só servimos para converter oxigênio em gás carbônico. Ou seja, você respira? Sim? Então pronto, acabou, você esta cumprindo sua função global. Parabéns.

Uma vez que você sabe que só serve para respirar, esta livre para fazer todo o resto. Você pode fazer o que quiser, quando quiser e da forma que quiser. Quer viver sem dinheiro, vadiando por ai? Ótimo, mas mantenha a respiração. Quer trabalhar e ter dinheiro para todas as futilidades gostosas? Manda brasa, mas continue respirando!

Agora vá respirar e ser feliz, pois essa ladainha toda já me cansou.


*Aparte sobre a relação do homem com a natureza antes que comecem a reclamar:


Parem com esse choramingo de "o homem destrói a natureza". Na mente pequena, natureza são bichinhos fofos e água limpinha. A natureza é tudo. Produtos químicos são feitos com materiais encontrados na natureza. Mercúrio é natural, cromo também e por aí vai.

Quando o Homem "ataca o meio ambiente" na verdade ataca a biosfera que permite sua existência, ponto final. Ou seja, "proteger a natureza" é um discurso vago, eu quero é me proteger. Eu não mato baleias por que sem elas não rola todo um ciclo necessário para gerar o oxigênio que eu respiro.

Acho que o discurso ecológico tem um enfoque errado. Não dá para levar a sério esse papo do Mico Leão Dourado. É muito distante para se perceber, quantos já viram um desses? Faz muito mais sentido dizer que o mercúrio jogado num rio vai nos matar. Se rolar a guerra atômica (back to the 80´s) acabou a Humanidade, mas a natureza não. Ela continua por aqui e, em algumas eras (medida de tempo que só parece muito para nós), vai limpar a radioatividade sozinha. Ela já se virava muito bem obrigado antes de nossa chegada, não somos donos ou protetores da natureza. Devemos ser protetores de nosso próprio rabo.

Se causarmos problemas para nós mesmos, não continuaremos por aqui. A natureza bastará gerar um outro produtor de gás carbônico que esse seja mais esperto.