26 de jan de 2008

Resistir é inútil

Hoje, a caminho do mercado, ouvi dois rapazes comentando: "casamento é como uma piscina com água fria, você sempre espera um otário dar o primeiro mergulho antes de cair na água".

No mesmo instante, pensei que, dada uma interface neural wi-fi, eu twittaria essa máxima e compartilharia essa experiência. Na medida em que as tecnologias ganham velocidade de processamento e interface (ajax e outras tecnologias push), o conteúdo colaborativo se torna mais dinâmico, plural e presente. Essa coisa 2.0 de ser.

Mais do que produzir conteúdo, a hiperconectividade também é receber conteúdo. Uma interface neural como a citada acima ia permitir a consciência de experiências diversas em tempo real. No momento em que eu ouvisse a máxima popular sobre casamento, um grupo de pessoas iria "ouvir" também. O ouvir entre aspas mesmo, pois estou falando de uma cognição nova que é a tomada de consciência via wi-fi neural. Alguém falou em sexto sentido?

Essas tendências incipientes que tentamos catalogar como crowdsourcing, twitter, RSS, followers, lifecasting, conteúdo colaborativo e afins é, em verdade, uma vivência Borg. Diferente da ficção, e bem de acordo com a dinâmica contemporânea, não haverá mais espaço para mecânicas totalitárias, onde um é todos é todos são um. A nova comunicação é few to few, algumas pessoas compartilham com outras algumas pessoas que compartilham com outras tantas. Além disso, haverá identidade. Esta será traçada nas interseções entre coletivos cognitivos, cuja variação será do tamanho do número de pessoas envolvidas. Cada um será (e não terá) uma política exclusiva de imersão em grupos. O jogo da identidade será a equação entre o que eu produzo (e compartilho) e o que eu consumo.

Os coletivos cognitivos serão esses agrupamentos de experiências compartilhadas e filtradas ao sabor do usuário. Podemos imaginar que o conteúdo da web 1.0 era a informação (home pages e portais de conteúdo), o conteúdo da web 2.0 são pessoas (redes sociais e conteúdo colaborativo) e a web n.0 terá cognições como conteúdo (?).

Nenhum comentário: