11 de jul de 2008

Qual o valor das ações online?

Chegam as notícias de que o projeto da lei dos cibercrimes, recém-aprovado no senado, foi sim revisado pelo Senador Aloísio Mercadante, assim como ele mesmo afirmou. A assessoria do senador enviou o projeto como foi aprovado para o grupo que mobilizou a petição de repúdio ao projeto de lei. Há a concordância de vários de que o projeto aprovado é realmente menos obscuro e mais preciso. Contamos que essa nova avaliação venha dos nossos caros deputados federais, próximos a vistoriar o projeto com poder de veto para as emendas.

Nesse mesmo momento, surge a pergunta de qual foi o papel do ciberativismo nessas mudanças. Confesso que também é uma pergunta minha. As vezes tenho a impressão de que ainda vivemos o idealismo de Pierre Levy e creditamos mais força a Internet do que ela realmente consegue viabilizar. Vejo blogs arrogando para si um poder de formar opinião ordens de grandeza maior do que efetivamente têm. Embora eu perceba uma ignorância cega da parte de muitos entusiastas, seria igualmente ignorante negar toda e qualquer força que esse tipo de movimento e mídia pessoal possa ter. Não conseguir medir precisamente qual o peso, tamanho e dimensão têm, não quer dizer que não exista, principalmente quando se percebe a reação que vem desses movimentos online decantar para o mundo real.

É impossível isolar os fatos. Não podemos descobrir qual post em qual blog foi mais efetivo. Não dá para discriminar o valor da petição online e dos vários e.mails pessoais que foram enviados por brasileiros de vários estados para seus senadores exigindo uma providência. O que houve foi um contexto. Por alguns instantes uma parte minúscula da força imanente da Internet apontou para uma só direção. Ninguém fez nada certo ou errado, apenas fez e o papel de cada ação isolada é indeterminável. Porém, percebemos o resultado do conjunto. Esse conjunto é imaginado, pois houveram diversas outras manifestações e mobilizações que foram invisíveis aos meus olhos.

A essa altura do campeonato, qualquer crítica acusando o ciberativismo de inócuo ou até mesmo de ignorante é apenas falta de visão do todo. É como acusar Oswaldo Cruz por ter feito tanto barulho com essa história de vacina por nada, afinal, a varíola já se encontra erradicada. Paradoxo temporal.

Eu acho que a petição online deve ser encerrada e reiniciada. Uma primeira fase já foi vencida e novas mobilizações devem ser feitas em torno do que realmente é o interesse popular. Que os blogs continuem cumprindo sua função em refletir e oferecer informação para ser comparada e pesquisada, pois esse é o papel correto. Mobilização é conseqüência da informação.

2 comentários:

Zander Catta Preta disse...

Mandei o teu post para uma lista de web (webees) que eu modero, ok?

abraços

ladyrasta disse...

só pra falar que fiz um link do teu post (que eu achei bárbaro) no meu blog tá?

bjs

Flavia