29 de mai de 2009

Beleza

Sempre que eu paro para ler os comentários dos leitores do Globo.com eu tenho vontade de largar a Sociologia. Então eu iria estudar robótica e criaria um exército autômato com a missão de destruir toda a humanidade. Inclusive eu, claro, no final.

Para deixar a misantropia de lado basta eu dar uma volta no quarteirão. Ontem, sem nem ter visto comentário algum, saí para passear e me apaixonar novamente pela humanidade.

Na esquina da Rio Branco com a 7 de Setembro, uma senhora recebia uma entidade dentro da loja da Di Santini. Os vendedores, educadamente, não deixavam as pessoas entrarem na loja enquanto uma moça prestava o devido atendimento à filha de santo.

Em volta da loja as pessoas se aglomeravam para assistir o socorre espiritual, complicando a passagem pela calçada. Uma mulher indignada tentava cruzar o aglomerado aos berros de "Que país é esse!? É o pais do Lula!!". Claro, afinal o presidente também é responsável por toda e qualquer atividade metafísica em território nacional.

Religião, política, economia e tudo mais explicitamente misturados num pequeno fenômeno urbano.

Que beleza, minha gente.

2 de mai de 2009

Change Sphinx

Quando guri, vítima da programação infantil da TV, era fã dos Tokusatsus que lá pipocavam. Jaspion, Jyraia, Cybercop, Lion Man e, o primeiro de todos (na minha lembrança), Changeman. Tudo isso antes até de saber que alguns desses programas se chamavam Tokusatsus e antes que toda uma subcultura nerd surgisse em torno desses programas.

Como brincava muito de desenhar, gostava de rabiscar os heróis da TV e criar os meus em cima do repertório pop que me cercava. Lembro que desenhei um Changeman amarelo, com uma esfinge na cabeça que seria o sexto herói. Ele deveria vir dos desertos do norte da África, uma coisa evidentemente egípcia. Me lembro também que a arma dele não era uma espada, mas sim uma cimitarra.

Não lembro de ter pensado um veículo para ele, mas se fosse essa a minha missão hoje eu pensaria em algo como MMR25 da Mitsubishi. De quebra ainda faria o veículo se transformar num enxame de besouros estilo praga divina para atacar os robôs gigantes que enfrentassem o Change-Robô. Aliás, pela primeira vez percebi que o ator dentro da fantasia de Change-Robô é um conehead.