29 de ago de 2011

Eu quero me sentir um idiota amanhã

Troquei o subtítulo desse blog tem pouco tempo, mas rapidamente ele se fez verdade e já me sinto um completo idiota. Será que se eu trocá-lo para "vou ganhar na loteria amanhã" também funciona?

Aviso ao mundo que eu mudo, mudo tudo e mudo muito. Mas não vou deixar de me entregar. Não tenho vergonha nenhuma de me relacionar assim. Não caio na armadilha cafona e cínica da modernidade de relacionamentos distantes e vazios. Não topo controlar cada investida para que o retorno ao ponto de partida seja fácil e indolor.

Não amo para colorir o presente. Amo para enxergar o futuro.

E eu amo para caralho. Não importa o que aconteça.

5 de ago de 2011

Leitor de mim mesmo

As vezes paro para ler coisas antigas desse blog.

Não sei se rejeito os meus antigos "dramas existênciais" (facilmente catalogados pelo meu cinismo tardio como "coisa de frutinha") ou agradeço por ter tido qualquer tipo de intensidade na minha vida em algum momento.

Sempre na cabeça que não posso abrir mão de nada que eu fui se eu gosto do que sou.

De todas as viagens, a mais perigosa é imaginar Romulo do passado versus Romulo do presente. Acho que eu perderia para mim mesmo de uma forma ou de outra. O Romulo do passado batia melhor, mas o Romulo do presente é um pouco mais pesado e cascudo. O Romulo do futuro estaria apenas assistindo e pensando "mas que dupla de retardados, ora veja você".