21 de fev de 2013

February 21, 2013 at 02:12PM

Alguns breves sobre a hermanolândia, de onde voltei após 5 dias: - A água lá é estranha. A Leila já conhecia e tinha me alertado. Fiquei com a impressão de que as minerais tem naturalmente mais sódio e minerais, o que faz o que encorpa o amargo na água. Amei a Vilavicentio, uma água "pesada", mata a sede de verdade. Quem não curtir esse tipo de aventura, siga a dica que a Leila vai postar logo abaixo com as águas com mais gosto de água que tem por lá. - Buenos Aires se encontra abandonada. É uma pena, mas a recessão realmente está atacando de frente a cidade e seus moradores. Mesmo nos bairros mais nobres, vê-se uma decadência se aproximando. Moradores de rua com cara de quem recém chegou nessa condição. O clima é tenso. - Argentinos aparentemente consomem bastante música brasileira, mas menos do que consomem músicas de outros países latinos. Uma pena que consumamos tão pouco música em espanhol. Tem coisas realmente muito interessantes. Na feira de San Telmo tinha samba, se coloque no lugar do colonizador pelo menos uma vez em sua vida. - Pelo que pude entender, aluguéis sobem, mas a venda de imóveis é a pior dos últimos anos. Vi uma loja grande sendo vendida num lugar super tradicional de San Telmo por 20k dólares. - Por favor, quem souber pq tantas coisas em BuAs fecham na quarta feira me explique. A verdade é que os horários da cidade são meio loucos. Se vc viu uma loja aberta as 10 da manhã nada garante, em dia algum, que ela continuará aberta as 3 da tarde. Muito louco. - O conceito deles de café é muito esquisito. - BuAs se tornou um lugar caro. Comer é caro e os preços de tudo que pude fazer uma comparação é igual ou pouco maior do que é no Rio. Deixou de ser um paraíso para comprar coisas bacanas. - Assim como Santiago no Chile, invejo profundamente todas as cidades que tem Falabela. Um tipo de Leader Magazine com gosto impecável. Sempre fico impressionado nessa loja. - A feira de Palermo me pareceu um Mundo Mix da terceira idade ou uma loja de Cosplay de Rock Farofa. Seja lá o que for, achei tudo muito caído. Já a feira de San Telmo é uma graça e vale muito a visita. - Cada vez mais curto a figura histórica de San Martin. Todos os museus que fui são muito legais e a arquitetura é foda. Acho que os melhores passeios da cidade continuam sendo apenas passeios pela cidade para ver os prédios históricos. A faculdade de Direito e Ciências Sociais da Recoleta é um sonho. O faculdade de Engenharia é um dos prédios abandonados mais lindos que já vi. - Tive a oportunidade de ver um típico protesto trabalhista argentino e fiquei arrepiado. Depois conto sobre isso com mais calma, mas a verdade é que democracia parece ser algo um pouco melhor entendido por lá do que por aqui. - Achei o joelho das argentinas esquisitos. - O povo de lá é gente boa. - Realmente tem uma livraria a cada esquina, todas bem legais. Livro infantil lá é um desbunde. Eles realmente são muito preocupados com a qualidade gráfica das coisas, isso é bacana. - O mercado de jogos de tabuleiro de massa deles é ORDENS DE GRANDEZA melhor, mais diverso e interessante que o nosso. Estamos engatinhando perto deles. No que diz respeito aos "jogos para hobbistas", a crise levou pelo menos uma loja: a jugueteria cerrito, que agora é concessionária da Yamaha. - Eles são bem menos preocupados com segurança do que a gente, o que sempre me faz pensar num povo que, na média, é mais honesto. Entretanto, a falsificação de dinheiro lá é um problema gigante e, nesse ponto, eles poderiam aprender muito com a gente. - Se eu lembrar de mais alguma coisa, eu coloco aqui.

Nenhum comentário: