26 de out de 2013

October 26, 2013 at 11:04AM

Consternado com a forma como o PM apanhou em São Paulo. Da mesma forma como me consterno com qualquer um que apanhe, com ou sem razão, no fim das contas. Mas o fato deixou algumas coisas claras, coisas que precisam ser colocadas para todos os lados: os grupos envolvidos no conflito estão falsamente bem desenhados, como falsamente bem desenhados costumam ser. Quando um manifestante apanha, toma um falso flagrante, um gás de pimenta ou uma bomba entre as pernas, ele está apanhando pela idéia do manifesto. Indifere, para a polícia, quem ele é, de onde ele vem, o que está fazendo ali e em quais das diversas atividades que compõe um manifesto ele estava envolvido. Ele está apanhando por cada Black Bloc que se colocou no caminho da PM, por cada banco quebrado, por cada coquetel molotov arremessado, por cada pixação feita, grito de guerra entoado. Tudo, enfim. Quando um policial apanha, ignora-se quem ele é, o que fazia, o que fez, que lado defende, sua família e afins. Ele apanha por cada Amarildo, por cada bomba lançada, por cada gás de pimenta lançado, por cada revista sem propósito, cada prisão arbitrária, cada bala perdida na UPP e afins. No fim das contas, esse conflito interessa a quem? Todo maniqueísmo, nesse caso manifestante vs polícia, exclui outras forças que se beneficiam dessa luta.

Nenhum comentário: